Gisela Vieste do Fim do Mundo Letras

Vieste do fim do mundo

Num barco vagabundo.

Vieste como quem

Tinha de vir para contar

Histórias e verdades,

Vontades e carinhos,

Promessas e mentiras de quem

De porto em porto, amar se faz.

Vieste de repente,

De olhar tão meigo e quente…

Bebeste a celebrar

A volta tua;

Tomaste-me em teus braços

Em marinheiros laços,

Tocaste no meu corpo uma canção

Que, em vil magia, me fez tua.

Subiste para o quarto

De andar tão mole e farto

De beijos e de rum.

A noite ardeu,

Cobri-me em tatuagens,

Dissolvi-me em viagens…

Com pólvora e perdões tomaste

O meu navio, que agora é teu!